Ossanha – O guardião dos segredos das folhas

Milho torrado com fumo

Milho torrado com fumo

Kó sí ewé, kò sì orixá, ou seja, (sem folha não há orixá). Ossain conhece os segredos e as palavras que despertam o poder das folhas, é conhecido como um grande feiticeiro.

Quem busca cura em tratamentos medicinais não deve esquecer-se desse orixá, deixando no centro de uma mata fechada uma grande cumbuca de barro com milho vermelho, lascas de fumo, camarões secos, regados com o perfume e aroma do mel e do dendê.

Recebe,ainda, o efó ( refogado de vários tipos de folha, como a taioba, a mostarda e a folha de quiabo).

 

Oxumaré  - O orixá do movimento

Banana da terra
Banana da terra

Quando se visualiza o arco-íris, é possível sentir a presença de Oxummaré o orixá de todos os movimentos, de todos os ciclos.

Se um dia Oxumaré perder suas forças o mundo acabará, porque o universo é dinâmico e a terra também se encontra em constante movimento.

Não é possível imaginar o planeta terra sem movimentos, translação e rotação; Oxumaré é o eixo do mundo, os adeptos que almejam o equilíbrio se curvam a esse orixá ofertando-lhe uma rica farofa de dendê com ovos cozidos.

Gosta de massa de batata-doce e da banana-da-terra frita no dendê.

 

Nanã – A anciã

Efó
Efó

Nanã é a deusa dos mistérios, sua origem é simultânea à criação do mundo, pois quando Odudua (Deus das águas salgadas) separou a água parada que já existia, libertou do “saco da criação” a terra, no ponto de contato desses dois elementos formou-se a lama nos pântanos, local onde se encontram os maiores segredos de Nanã.

Senhora de muitas conchas Nanã sintetiza a morte,as grandes mulheres do Candomblé se reverenciam a esse orixá por toda trajetória de suas vidas, fazendo com que o tempo de sua existência se estenda.

Aos sábados no cair da noite sempre iam ao mangue oferecer uma comida chamada Andaré. Trata-se de um vatapá de feijão fradinho, sem adição de dendê.

O ritual não aparece no momento de oferecer a comida, mas no momento de prepará-la, pois aí se sente sua presença.

Aprecia também o acaçá dissolvido em água de mel, o omitorô(água do cozimento da canjica com mel), Efô é uma comida ritual e da culinária baiana , pode ser feita com folha de mostarda ou da folha chamada língua de vaca .

Oxum – Dona da fecundidade e das àguas doces

Omolocum
Omolocum

Generosa e digna, Oxum é a rainha de todos os rios,vaidosa, é a mais importante entre as mulheres da cidade, é a dona da fecundidade das mulheres, a dona do grande poder feminino.

As mulheres que querem engravidar se recordam de Oxum, presenteando-a com uma bacia de louça contendo Omolocum (feijão fradinho, dendê, camarão seco, cebola e ovos inteiros cozidos).

Quando seu pedido é atendido levam até uma nascente de água doce bijuterias como forma de agradecimento.

Oxum adora ser lembrada. Come também o ipeté, comida a base de inhame temperada com camarão e dendê. Ado – é uma comida ritual feita de milho vermelho torrado e moído em moinho e temperado com azeite de dendê e mel.

Salve irmãos!

Todo texto acima e suas imagens pertencem ao amigo Mariano de Xangô,que é  Ogam da casa de Umbanda Pai José de Aruanda que fica localizada na cidade de Areia Branca R/N,e que possui todos direitos.Visitem seu lindo blog clicando aqui!

Gostou?Compartilhe!